Reportagem: One Big Mob no Plano B

mg 9353 copy Reportagem: One Big Mob no Plano B

Estivemos no Plano B a assistir à apresentação do novo EP dos One Big Mob (OBM), que praticamente lotou a conhecida sala portuense. Lia-se na Time Out que este era “um quarteto que bate no ceguinho do grunge através do Hard Rock”. E é isso, à parte o lapso de serem um quinteto. Fácil de definir, fácil de gostar. Um projeto que vive da presença e voz de João Castro, mas que não resistiria sem a regularidade dos restantes elementos, que não precisam de muitos floridos para preencher devidamente os espaços nas canções.

mg 9426 copy Reportagem: One Big Mob no Plano B

Alinhamento curto e explosivo, foi o que nos reservaram os OBM esta noite. Os três temas que compõe o novo trabalho, gravado nos Estúdios Sá da Bandeira, mostraram-nos uma banda que tem vontade de alcançar objectivos, que quer dar o salto. “Be Taken”, “Something’s Starting” e “Right Place To Be” foram acompanhadas na setlist pelas antigas “Wounds”, que abriu o concerto, “Driving Too Fast” ou “Boom”, momentos de boa interação com o público, que quis participar na festa dos OBM. Também o inédito “Stolen Rolex”, que certamente encontraremos incluído num futuro álbum, merece destaque, um grande tema para ser ouvido por esses palcos.

mg 9412 copy Reportagem: One Big Mob no Plano B

Foi com “Boom”, e com um vocalista eletrizante – parecia querer ficar por ali o resto da noite, -que a banda encerrou a atuação. Houve tempo, ainda, para uma versão final de “The Trooper”, que serviu para satisfazer os pedidos que partiram da bancada, imediatamente após o apito final de João Castro. Foi um bom tempo extra, de gargantas afinadas que saudaram este bom início de um novo ciclo na vida dos OBM. Estamos cá para ver.

[slideshow]

Texto: Rafael Corte Real
Fotografia: Miguel Oliveira

Leave A Comment

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: