O Blues e o Rock juntos para criar uma noite memorável

MO Blind Charge + The Last Internationale 46 O Blues e o Rock juntos para criar uma noite memorável

No passado dia 15 de Fevereiro, no Armazém do Chá, fomos presenteados com dois concertos, um de lado familiar e outro que se dizia vir dos States, uma banda de Blues (Interessante)… Mas já chegamos lá.

MO Blind Charge + The Last Internationale 16 O Blues e o Rock juntos para criar uma noite memorável

A banda de abertura é uma porta aberta à casa habitual aonde a alegria se encontra ocasionalmente, esta casa é o coração de uma banda chamada Blind Charge, os anos fazem de tudo quando passam por zona terrestre, no caso destes rapazes, 10 anos serão como poucos minutos de uma vida que tem tanto para oferecer, e se fosse apenas por confirmação o que procurasse, o que não é o caso, seria então confirmado vezes sem conta.

Entoou-se como introdução o tema de Dragon Ball Gt, uma daquelas imprevisibilidades que esta banda tanto gosta de oferecer, e depois de tudo bem animado, começou então o concerto.

Começou vestido de novo, será a melhor afirmação que posso fazer, isto porque a música que deu início do concerto era nova, e não apenas por isso, também por ser uma grande música, sim, eu já vi alguns concertos deles e isto, isto era a confirmação de que a alegria nunca desaponta e que a casa estava pronta para ser partida a meio.

MO Blind Charge + The Last Internationale 14 O Blues e o Rock juntos para criar uma noite memorável

A seguir desta, veio outra vez à tona o álbum Lamia, aquele fruto bendito de uma mãe que só a estes pertence, e as suas crias, cada uma delas fazendo jus à descarga cega que a banda tanto representa. Crias estas como Mr. Ocean, que provavelmente já se candidatou a música intemporal da banda, Medusa, Recapture, a banda sonora de um povo que se une mostrando a sua afeição através das respostas físicas de um alvoroço, Idiots Savants, e mais um original novo que só no diz o quanto vale a pena continuar a estar atento a uma banda que se vai transformando com o tempo, o mesmo que os transforma em algo melhor de forma inegável.

MO Blind Charge + The Last Internationale 41 O Blues e o Rock juntos para criar uma noite memorável

Depois destes seguiram-se então os The Last Internationale, uma banda Blues dos States, ou da estrada talvez, com um baterista Luso, uma vocalista com um beleza Rockeira e um guitarrista que ama solar. Pessoalmente, estaria a ser injusto se dissesse que esta banda não é um bom exemplo do que é ser uma banda Blues, e talvez por isso não tenha ficado tão surpreendido no geral com o seu concerto, mas não querendo exponenciar a minha opinião como algo incisivo, digo que para os amantes de Blues Rock, é sem dúvida uma banda que deverão consultar. É uma banda coesa, com carisma, e acho que o gosto pelo que fazem é transparente o suficiente para ser notado, quem esteve lá que o confirme.

Faço a menção honrosa para a voz e Sex-Appeal da Dalila e para o Guitarrista Edgey, que me cativou mais na sua entrega e na forma como entragava a sua voz à guitarra. No fim entoou-se a “Sunshine of your Love” dos Cream e pronto.

Não foi o pôr do sol do meu amor, mas foi uma noite que serviu de recordação, mais uma, para juntar as tantas que felizmente vamos tendo pelo caminho.

Texto: Vitor Pinto
Fotografia: Miguel Oliveira

Leave A Comment

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: