Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

O Diligente + Nema Trevo 80 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

A sala da ESMAE estava um tanto ou quanto despida quando lá chegámos na noite de quinta-feira. Vai daí, ninguém se fez de rogado e começámos a puxar cadeiras para preencher o espaço vazio. Já nos sentámos, venha daí a música.

 O Diligente + Nema Trevo 3 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

Davide Lobão é, desta vez, O Diligente, e as canções que ouvimos vêm do Disco Um, um conjunto de músicas com anos nas costas e na sombra do rock. Nas vezes que veem a luz, fazemos questão de aproveitar.

A história é mais visual do que se pode imaginar e a partir daqui jogamos lado a lado entre a realidade e a ficção. Realidade: a guitarra clássica d’O Diligente e a guitarra eléctrica de Pedro Afonso, o tal Homem Mau. Ficção: são duas da manhã, estás fechado no quarto, a janela aberta e só a luz da lua. Um copo de vinho na mão. O vento é frio.

 O Diligente + Nema Trevo 15 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

A banda sonora discorre por entre “Foge“, “” ou “Salmão” e já não estamos na ESMAE. E se “a vida passa a correr”, fazemos questão de carregar na pausa de deixamo-nos ficar na melodia que a versatilidade permite a Davide Lobão.

“Estamos muito disciplinados hoje”, reconheceu. A nossa reação é retardada, não é fácil voltar assim de repente à realidade. E só para não nos habituarmos àquele som, é o frio da noite que traz “Elephants“, um original de Rachael Yamagata. Porra, Davide, que coisa esta!

 O Diligente + Nema Trevo 14 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

“Estas músicas não valiam nada se não fossem os amigos”. Está mais gente na sala? Ah, pois está. E dão de si quando se ouve uma canção de Homem Mau. A noite está a favor e o vinho continua a aquecer. O Diligente tenta dar-nos “Corda“, mas a música fica a meio porque parece que ainda não é tempo de sair da gaveta. “Foi o meu momento Jorge Palma”.

Tudo bem. “Toca Xutos!”. Olha, é mesmo isso. Ouve-se em crescendo “Conta-me Histórias“. Se não quiseres contar, já a fizemos na cabeça. A madrugada adensa com o final do concerto e acabou o sossego. Partimos o copo, o vento fechou a janela com estrondo. Acabou o sossego e o quarto ficou do avesso. Será só ficção?

 O Diligente + Nema Trevo 60 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

É melhor não pensar muito. Saímos para a rua para uma corrida sem limites de tempo ou espaço. Os Nema Trevo estão em palco e dão o som dos nossos passos. E é rock. Um bocadinho mais, vá. Agora somos mais e a tela é a paisagem do que vai nas nossas cabeças.

Mais do que o som elementar de quatro músicos, “Dauphin“, o álbum de estreia eleva-nos a um nível superior de audição. Entramos na ficção novamente e sem dificuldade. Está a amanhecer, corremos na relva com a luz do crepúsculo. Sabe bem e nem precisamos de muita letra, que é para nem nos distrairmos dos pormenores.

 O Diligente + Nema Trevo 87 Nema Trevo + O Diligente na ESMAE

O dia vai ser quente, mas ainda não percebemos que estamos a sonhar. Entre as canções de que os Nema Trevo gostam muito, uma “dedicada ao Henrique” e alguns bichos carpinteiros entre quem ainda resistia sentado, parece que, afinal, já muitos tinham mesmo comprado o cd.

A luz adensa-se, sentimos a floresta arder com o som de “Third:Cut”, “(a stranger lends his name)” ou “8″. Mais, sim, também sentimos que estamos “a ficar cada vez mais bonitos”. Poucos instrumentos musicais enchem tanto uma sala como um tambor. E é quando os ouvimos rufar que nos apercebemos do sol a nascer. Tem pressa. Calma que aqui ninguém gosta de acordar aos berros. Terminou a corrida. Queremos os confortáveis “só mais dez minutos”. Os Nema Trevo nem dão hipóteses: alvorada. Ok, ok. De volta à realidade.

Texto: Cláudia Brandão
Fotografia: Miguel Oliveira

Leave A Comment

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: